sábado, 11 de julho de 2009

Antônio Carlos Gomes Belchior Fontenelle Fernandes

Carreira

Durante sua infância no Ceará foi cantador de feira e poeta repentista. Estudou música coral e piano com Acaci Halley. Foi programador de rádio em Sobral, e em Fortaleza começou a dedicar-se à música, após abandonar o curso de medicina. Ligou-se a um grupo de jovens compositores e músicos, como Fagner, Ednardo, Rodger Rogério, Teti, Cirino entre outros, conhecidos como o Pessoal do Ceará.

De 1965 a 1970 apresentou-se em festivais de música no Nordeste. Em 1971, quando se mudou para o Rio de Janeiro, venceu o IV Festival Universitário da MPB, com a canção Na Hora do Almoço, cantada por Jorge Melo e Jorge Teles, com a qual estreou como cantor em disco, um compacto da etiqueta Copacabana. Em São Paulo, para onde se mudou, compôs canções para alguns filmes de curta metragem, continuando a trabalhar individualmente e às vezes com o grupo do Ceará.

Em 1972 Elis Regina gravou sua composição Mucuripe (com Fagner). Atuando em escolas, teatros, hospitais, penitenciárias, fábricas e televisão, gravou seu primeiro LP em 1974, na Chantecler. O segundo, Alucinação (Polygram, 1976), consolidou sua carreira, lançando canções de sucesso como Velha roupa colorida, Como nossos pais (depois regravadas por Elis Regina) e Apenas um rapaz latino-americano. Outros êxitos incluem Paralelas (lançada por Vanusa), Galos, noites e quintais (regravada por Jair Rodrigues) e Comentário a respeito de John (homenagem a John Lennon) gravada por ele e pela cantora Bianca. Em 1983 fundou sua própria produtora e gravadora, Paraíso Discos, e em 1997 tornou-se sócio do selo Camerati. Sua discografia inclui Um show – dez anos de sucesso (1986, Continental) e Vicio elegante (1996, GPA/Velas), com regravações de sucessos de outros compositores.

Discografia

1974 - A Palo Seco (Continental - LP)
1976 - Alucinação (Polygram - LP/CD/K7)
1977 - Coração Selvagem (Warner - LP/CD/K7)
1978 - Todos os Sentidos (Warner - LP/CD/K7)
1979 - Era uma Vez um Homem e Seu Tempo/Medo de Avião (Warner - LP/CD/K7)
1980 - Objeto Direto (Warner - LP)
1982 - Paraíso (Warner - LP)
1984 - Cenas do Próximo Capítulo (Paraíso/Odeon - LP)
1987 - Melodrama (Polygram - LP/K7)
1988 - Elogio da Loucura (Polygram - LP/K7)
1993 - Belchior em Espanhol com Eduardo Larbanois e Mario Carrero (Eldorado/Movie Play - CD)
1993 - Bahiuno (MoviePlay - CD)
1996 - Vício Elegante (Paraíso/GPA/Velas - CD)
1999 - Auto-Retrato (BMG - CD)
2008 - "Belchior Sempre"

Curiosidades

-Uma das canções mais conhecidas de Raimundo Fagner, "Canteiros", possui trechos da canção de Belchior "Na Hora do Almoço". Em alguns shows, ao cantar essa música, Fagner também canta trechos de Águas de Março, de Tom Jobim.
-A Gravadora Continental, aproveitando o Sucesso de Belchior e também de Fagner, que não tinham mais contrato com a gravadora, juntou as melhores faixas dos discos Ave Noturna de Fagner, e A Palo Seco de Belchior, e lançou uma compilação com o título de Juntos - Fagner e Belchior.
-Belchior é o compositor de um dos maiores sucessos da cantora Elis Regina, "Como Nossos Pais", lançada anteriormente por ele em 1976.
-O grupo Mamonas Assassinas fez uma espécie de homenagem imitando-o na canção "Uma Arlinda Mulher".
-O cantor Falcão satiriza um trecho da música "Divina comédia humana" em "As bonitas que me perdoem, mas a feiúra é de lascar" onde ele diz "Um analista amigo meu me disse que desse jeito não vou viver satisfeito".

Fonte: Wikipedia.

Acrescento: Há referências muito frequentes aos Beatles e a Bob Dylan na obra desse artista que considero genial. " Nossos ídolos ainda são os mesmos...", A felicidade é uma arma quente.. e por aí vai.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário